voluntarios@sosvizinho.pt | comunicacao@sosvizinho.pt | geral@sosvizinho.pt

Voluntário

COMO AJUDAR?

1. Receber o pedido (bens de primeira necessidade e/ou medicamentos).
2. Realizar a compra.
3. Entregar o pedido no respetivo domicílio.
4. Receber o pagamento do pedido.

Queres fazer parte desta equipa? Junta-te a nós e ajuda os teus Vizinhos!

Inscrição aqui

O SOSvizinho, atendendo às circunstâncias excepcionais decorrentes da pandemia Covid-19 que motivou sua criação, não poderá garantir que todas as atividades por si preconizadas sejam salvaguardadas, pelo que não se poderá responsabilizar por quaisquer danos emergentes que ocorram com os voluntários, pedidos de ajuda, ou outras ocorrências/situações (contempla as áreas de saúde, sinistros e outros), bem como não se responsabilizará por quaisquer contactos e actos ilícitos, naturalmente alheios ao SOSvizinho, que possam advir dessa atividade.

Perguntas Frequentes

Quero registar-me como voluntário, o que devo fazer?

De forma a organizar todos os voluntários numa única base de dados, pedimos que quem se queira inscrever como voluntário aceda a [www.sosvizinho.pt], carregue em “Voluntário” ou “Quero ajudar”, depois em “Inscrição aqui” e preencha o formulário de inscrição. Após a finalização da inscrição, deve aguardar novo contacto.

Até quando posso realizar a minha inscrição?

A inscrição irá manter-se aberta por tempo indeterminado.

Qualquer pessoa pode inscrever-se como voluntário?

Não. Dada a situação que atravessamos atualmente, não poderão ser considerados aqueles que:

  • sejam doentes crónicos (como hipertensos, pessoas com problemas cardíacos e cardio-respiratórios, diabéticos, pessoas imunodeprimidas e com doenças auto-imunes,  entre outras);
  • apresentem outros problemas de saúde na fase aguda, nomeadamente infeções respiratórias;
  • tenham viajado para fora do país nos últimos 14 dias;
  • apresentem sintomas que possam indicar suspeita de Covid-19, nomeadamente, tosse, febre e falta de ar;
  • sejam menores de 18 anos;
  • sejam maiores de 60 anos (inclusive);
  • não sendo critério de exclusão, relembramos que uma vez que, é entre os 45 e os 50 anos (e por aí adiante) que se verifica uma subida importante da taxa de mortalidade, não aconselhamos a inscrição a maiores de 45 anos;
  • não sendo também critério de exclusão, pedimos que voluntários que vivam com pessoas pertencentes aos grupos de risco tenham cuidados redobrados assim que chegam a casa.
Existe idade mínima e/ou máxima para ser voluntário?

A idade mínima é de 18 anos. Tendo em conta as questões de segurança e prevenção relativamente à COVID-19, a idade máxima definida é de 59 anos (inclusive). No entanto, não sendo critério de exclusão, não aconselhamos a inscrição a maiores de 45 anos, uma vez que é entre os 45 e os 50 anos (e por aí adiante) que se verifica uma subida acrescida da taxa de mortalidade.

Que tipo de tarefas são executadas por um voluntário?

O voluntário terá as seguintes funções: 

  • Receber o pedido (será notificado pelo coordenador do seu município);
  • Realizar a compra (de bens essenciais ou fármacos com e sem receita médica);
  • Entregar o pedido no respetivo domicílio;
  • Receber o pagamento do pedido (se receber essa indicação).
Que tipo de formação tem um voluntário?

O Manual do Voluntário contém toda a informação necessária para a formação inicial do Voluntário.
Vamos, no entanto, tentar criar vídeos com procedimentos e recomendações de segurança e assim que estejam disponíveis divulgaremos pelos Voluntários e pelos seus Coordenadores.
Da mesma forma, à medida que o voluntariado vá avançado e sempre que seja necessário, iremos transmitir novas indicações de acordo com a informação que for sendo divulgada pelas autoridades (formação contínua).

Em que localizações são necessários voluntários?

Todos os Voluntários, independentemente da sua zona, são necessários e muito bem-vindos. Apesar de pedirmos o distrito de atuação do Voluntário, é esperado que este atue somente dentro do seu município e o mais perto de casa possível.

Para ser voluntário, é obrigatório ter transporte próprio?

Não. Saber se o voluntário tem transporte próprio ou não permite-nos perceber a distância que este consegue percorrer (dentro da sua área de atuação). Uma pessoa a pé percorre uma distância menor do que se estiver de carro. No entanto, dada a situação, procuramos que o voluntário atue o mais perto da sua zona de residência possível.

Posso ser voluntário a tempo inteiro ou parcial?

Sim. Procuraremos atribuir os pedidos de ajuda que chegam, tendo em conta a zona de atuação e disponibilidade do Voluntário, mesmo se este trabalhar a tempo inteiro no seu emprego habitual. O número de notificações que o Voluntário irá receber para responder a pedidos de ajuda irá depender do número de pedidos de ajuda que nos cheguem. No entanto, o Voluntário deverá avisar o coordenador do seu município caso seja notificado para responder a um pedido e não seja capaz de o fazer.

Se o número de Voluntários o permitir, e de forma a limitar o surgimento de cadeias de transmissão, aconselhamos que cada Voluntário não colabore mais do que 7 dias consecutivos sem um intervalo de quarentena de 14 dias. Podendo após esses 14 dias retomar funções, caso não tenha desenvolvido sintomas

Quantas horas preciso de disponibilizar para ser voluntário?

O voluntário disponibiliza o tempo que pode. Assim que receber o pedido de ajuda, deverá levá-lo até ao fim – desde a entrega do pedido à receção do respetivo pagamento. O tempo despendido dependerá do tempo que demora durante todo o processo (desde a receção do pedido até à sua entrega). 

Tenho direito a ser reembolsado por despesas enquanto desempenho as atividades como voluntário?

O projeto tem um carácter de ajuda ao próximo na sua totalidade, pelo que as despesas a nível de deslocação que decorram da realização das tarefas de ajuda aos Vizinhos serão da responsabilidade do voluntário (à exceção do valor do pedido que estará a encargo da pessoa que o fez).

Como tenho acesso ao KIT voluntário?

O KIT do Voluntário é composto por materiais essenciais para que o Voluntário possa realizar a sua tarefa em segurança. Neste momento, e dada a situação atual que o país atravessa, a maioria das pessoas já terá estes materiais em casa. O Coordenador do concelho deve confirmar com o Voluntário se este tem consigo esses materiais que possa utilizar.
Pedimos tanto a Voluntários como Coordenadores que nos ajudem a procurar junto de entidades locais (Juntas de Freguesia, Câmaras Municipais, Farmácias, Hipermercados, etc) a possibilidade destas doarem alguns destes materiais que possam estar em falta ao Voluntário.
Estamos desde o primeiro momento a tentar munir todos os nossos Voluntários com Equipamento de Proteção Individual. A verdade é que dada a conjuntura atual, tal como as próprias autarquias, temos enfrentado dificuldades na aquisição desses materiais. Estamos a fazer todos os possíveis para que consigamos garantir o KIT de Voluntário a todos os nossos Voluntários.

Não tenho alguns materiais do KIT posso ajudar na mesma?

Não. Nenhum Voluntário do SOSvizinho irá responder a pedidos de ajuda se não estiver devidamente equipado, de modo a garantir a sua  segurança e a dos outros.

É obrigatório a utilização de máscaras no decorrer do voluntariado?

A última Informação disponibilizada pela DGS (Informação nº 009/2020 de 13/04/2020), alargou a recomendação da utilização de máscara cirúrgica, e outros equipamentos de proteção individual, a elementos de alguns grupos profissionais, durante o exercício de determinadas funções, quando não é possível manter uma distância de segurança entre pessoas, nomeadamente distribuidores de bens essenciais ao domicílio. Para além disso, “deve ser considerada a utilização de máscaras por qualquer pessoa em espaços interiores fechados com múltiplas pessoas (supermercados, farmácias, lojas ou estabelecimentos comerciais, transportes públicos, etc)” (p. 3).
Por isso, todos os voluntários do SOSvizinho terão de estar devidamente equipados durante as suas funções, quer no momento em que realizam as compras, como no momento da entrega das mesmas. Relembramos a importância de conhecer e dominar bem as técnicas de colocação, uso e remoção da máscara, de modo a que a sua utilização seja uma medida de proteção eficaz.

Depois de fazer a inscrição, como é que o voluntário é integrado no projeto?

Após a inscrição, a mesma será analisada para perceber a sua viabilidade. Dada a situação atual, teremos de fazer uma seleção rigorosa dos voluntários, de modo a não expor as pessoas que ajudamos e o próprio Voluntário ao risco. Posteriormente, será contactado sobre a aceitação ou não da sua integração na equipa. Caso seja aceite, o Voluntário irá ser contactado pelo Coordenador responsável pela sua região e, posteriormente, será notificado quando existir um pedido de ajuda no seu município, no seu horário de disponibilidade.

Como é que o voluntário recebe o pedido de ajuda?

Os nossos voluntários estão organizados pelos diferentes municípios em que residem. Em cada município será selecionado um coordenador que está responsável por atribuir os pedidos de ajuda aos voluntários (tendo em conta a disponibilidade que o voluntário deu). Assim que é feita a atribuição dos pedidos de ajuda, o voluntário recebe no email a credencial e toda a informação necessária para responder ao pedido.

O voluntário tem de efetuar a compra antes de receber o pagamento?

Relativamente ao pagamento, o mesmo irá depender das instruções dadas por cada coordenador:

    1. O Voluntário recebe o dinheiro adiantado, faz as compras e entrega-as, juntamente com o respetivo talão e troco (se for o caso, e se o pagamento for feito em dinheiro).
    2. O Voluntário ou uma entidade local adianta o pagamento, o Voluntário faz a compra, entrega e recebe o pagamento, entregando o respetivo talão das compras.
Se decidir ou precisar de sair da lista de voluntários, como devo proceder?

Se pretender deixar as suas funções, o Voluntário deverá informar o Coordenador do seu município que nos informará, de modo a procedemos ao cancelamento da sua inscrição.

O que fazer caso o pagamento ao voluntário não seja efetuado?

O voluntário deve informar o coordenador que procurará resolver a situação com brevidade.

Fui rejeitado como Voluntário. E agora?

A segurança dos Voluntários, das suas famílias e das pessoas que fazem os pedidos de ajuda é importante para o SOSvizinho. Por isso, estipulámos os critérios de exclusão. No entanto, caso o Voluntário tenha sido rejeitado por a) ter viajado para fora do país nos últimos 14 dias ou b) apresentar sintomas que possam indicar suspeita de Covid-19, nomeadamente, tosse, febre e falta de ar, assim que a) perfizer os 14 dias e não haja sintomas que possam indicar Covid-19 ou b) os sintomas que antes estavam presentes tenham desaparecido, pedimos que nos contacte para que possamos atualizar a respetiva informação.